Câmbio Store na mídia
Terra press releaseStartSe press releaseInfoMoney press releaseGlobo News press releaseAbra seu negócio press release

Conversão dólar real. Sem taxas escondidas.

Você pode levar horas para encontrar a melhor taxa de dólar. Economize seu tempo e dinheiro. Nós mostramos em tempo real as melhores cotações das casas de câmbio da sua cidade. Garanta o melhor valor do dólar hoje.

Dólar comercial nos últimos 30 dias.

Loading...
mapa dolar hoje

Melhor cotação de dólar hoje.

Realize sua troca com a melhor cotação de Dólar em nossa casa de câmbio online. Negociação sem barreiras geográficas.

dolar hoje seguro

Dólar 100% seguro com parceiros autorizados pelo Banco Central.

Você será notificado(a) via e-mail a cada estágio da sua compra ou venda de dólar. Além disso, você pode acompanhar pelo nosso website de onde estiver.

Não fique com
dúvidas

A Câmbio Store tem um Centro de Suporte completo para te ajudar em suas dúvidas e te auxiliar com a melhor experiência em dólar. Encontre a melhor opção de dólar turismo hoje.

Central de Ajuda e Suporte

Algumas dúvidas frequentes

Saiba tudo sobre o Dólar

Dólar: Onde comprar? Melhor câmbio do dólar

Em alta, estável ou em queda, o Dólar é uma necessidade para quaisquer viagens ao exterior – Estados Unidos. É imprescindível, portanto, que haja um planejamento para se adquirir o dólar. É preciso pesquisar de forma antecipada a cotação do dólar, a fim de que se evite a compra com custos altíssimos em relação ao mercado.

Ainda que a viagem não tenha destino aos Estados Unidos, é importante cotar e possuir a moeda em questão, até porque trata-se de um aceite universal, utilizado em diversos países.

A partir do crescimento contínuo tecnológico, a compra de serviços e produtos de forma virtual/ online se destacou como um procedimento comum da vida de muita gente. O câmbio, inclusive, é outra atividade disponível online que é oferecida através da internet.

Atualmente, há a possibilidade de realizar a compra de quaisquer moedas estrangeiras dessa mesma forma, podendo realizar a cotação e buscar melhores taxas de câmbio.

Você sabe o melhor lugar para se comprar o dólar, sem precisar sair de casa? Com melhor custo do mercado? E com segurança?

A Câmbio Store disponibiliza um suporte totalmente online para auxiliar aqueles que desejam viajar para o exterior e adquirir melhores taxas do câmbio para a venda e compra do dólar. Tudo isso online!

Onde comprar dólar e realizar o melhor câmbio?

É muito importante verificar o teor de legalidade de sua compra, certificando-se de que o estabelecimento financeiro pelo qual optou realizar a compra do dólar online seja de confiança, considerando que, o procedimento do câmbio com segurança requer a procura de casas de câmbio com o devido credenciamento juntamente ao Banco Central do Brasil, regularmente autorizado a fazer operações do gênero.

Se houver dúvida, é importante acessar o endereço eletrônico do BCB. Após realizar a verificação das casas disponíveis do câmbio, o procedimento ficará mais fácil e seguro.

Dólar para atividades turísticas

O dólar não se destaca apenas como a moeda oficial do país americano, mas de outros quatro países do mundo. Ainda, o dólar é a espécie financeira de maior utilidade em todo o mundo, em circulação livre ou em reserva internacional, bem como negociações do comércio.

Entre os anos de 2013 e 14, destacou-se um quantitativo de US$ 2,7trilhões de dólares circulando pelo país, estimando-se ainda, que dois terços desta moeda estivessem em circulação exteriormente ao país.

A origem do Dólar

A origem da nomenclatura vem de abreviatura da palavra “Joachimsthaler”, que se trata da moeda prateada da Boêmia, séc XVI a XIX. A simbologia é US$, que é justamente a união das siglas dos Estados Unidos com o $.

Este dólar americano teve criação, ao passo que existiu a necessidade de alguma moeda para o financiamento da Guerra da Independência no país americano, no ano de 1776. Uma década posteriormente, as treze colônias já com independência fizeram a aprovação do dólar como uma moeda de caráter oficial.

Contudo, a relevância da mesma tardou a chegar. Isso porque até o séc XIX, o que preenchia a moeda de maior importância era libra esterlina, oficial do Reino Unido. O país americano, por conseguinte, não era visto de boa forma na situação econômica internacional, em virtude de leis que pudessem controlar a própria moeda emitida.

Posteriormente ao fim da II Guerra Mundial que o Dólar ganhou importância para a economia do mundo inteiro, cenário que persiste até os dias atuais.

Divisão do dólar atual

Trata-se da unidade básica de moeda, de mesma forma que o R$1 no país brasileiro, e 1€ em diversos lugares europeus. US$1 – um dólar – corresponde a 100cents ou pennies.

Atualmente, há seis moedas e 7 notas circulando. A divisão de moedas corresponde a:

  • US$1,00: 1 dólar
  • US$0,50: 1 dólar e meio ou 50 centavos
  • US$0,25: 1 quarto ou 25 centavos
  • US$0,10: 10 centavos
  • US$0,05: 1 nickel ou 5 centavos
  • US$0,01: 1 penny ou 1 centavo

Diferenças estruturais entre o dólar comercial e o dólar turismo

O que observamos, de modo normal, na TV ou páginas eletrônicas. Porém, para aqueles que estão em preparação para viagens sempre acabam surpreendidos com os preços altos em cobranças em casas de câmbio, bem como conversões realizadas nas compras de pacotes.

Em alguns casos, a cotação do dólar turismo pode alcançar a 8% a mais do que a cotação do comércio.

Tais diferenças acontecem em virtude de que, desde o ano de 1999, o país vivencia um sistema do câmbio flexível. Anteriormente a isso, o câmbio tinha um valor fixo em relação ao real. Podia ter negociação livre por aqueles que compram e vendem a moeda. Portanto, a importância em comparar a cotação do Dólar turismo entre diversas casas de câmbio.

A justificativa para o dólar turístico ter um valor maior que o do comércio era simples: para a compra e venda do Dólar turístico é necessário possuir o dinheiro em mãos, o que significa custos maiores para as casas de câmbio, referentes a manutenção, transporte, seguro contra roubos, elevando o preço de moeda para a compensação dos gastos. Contudo, a transação comercial é procedida de maneira virtual, eletronicamente.

Por que exatamente o mundo gira em torno do dólar?

Este elemento passou a ser um referencial no mundo inteiro, ainda em primeira parte do séc XX, ao passo que padrão outro, com adoção até então, teve fracasso. Até a fase inicial da Primeira Guerra Mundial, os estabelecimentos financeiros de cada local faziam a adoção de taxas fixas para as moedas relacionadas a outros.

A negociação comercial era realizada observando o valor fixo, de modo a impedir que determinados lugares mexessem em taxas de câmbio para o aumento de exportações e reversão de déficits comerciais, e, dessa forma, a garantia de estabilidade econômica.

Os debates em relação ao modelo iniciaram ainda ao longo da Segunda Guerra Mundial, e teve a consolidação, no momento, da visão de que seria melhor algo de similaridade à adoção durante o padrão ouro, com taxas de câmbio fixa, e base em moeda de poder.

A moeda teria caráter em países que fossem considerados capazes de regerem a orquestra, naquele momento – os EUA.

Países que trabalham com o dólar

De maneira a ter a moeda oficialmente, estão os países de:

  • Ilhas Virgens Britânicas;
  • Equador;
  • Ilhas Turcas e Caicos;
  • El Salvador;
  • Guam;
  • Ilhas Marianas do Norte;
  • Ilhas Marshall;
  • Micronésia;
  • Palau;
  • Porto Rico;
  • Samoa;
  • Timor Leste;
  • Zimbábue.

Países com o Dólar em equiparação:

  • Panamá;
  • Bahamas;
  • Belize.

Países que aceitam o dólar oficialmente:

  • Vietnã;
  • Camboja;
  • Nicarágua;
  • Barbados;
  • Ilhas Cayman;
  • Saint Martin;
  • Saint Kitts e Nevis;
  • Curaçao.

Influências em relação da cotação do Dólar atual

O Dólar, atualmente, tem função como “âncora de câmbio”, o que significa ser um referencial para moedas de diversos países que se baseiam em seu preço. A alta ou baixa. trata-se de reflexo em relação ao andamento econômico de principais países mundiais. Existem interferências de cenários de cada lugar.

A economia dos países que têm grandes pesos econômicos, como é a situação da China, sofre influências em relação da cotação do Dólar. Ainda, outros aspectos têm contribuição:

  • contratações de importação;
  • contratações de exportação entre países;
  • reservas internacionais do Dólar que se mantém pelo Banco Central;
  • operações do Banco Central para barragem de alta ou baixa contínua do dólar;
  • novidades econômicas ou políticas americana - anúncios de modificações de juros.

Dólar flutuante: o que é?

O Brasil mantém a variação do Dólar, conforme ofertas e procuras de negociações e moedas do comércio. É, portanto, a operação denominada como “câmbio flutuante”.

O momento certo de comprar o Dólar

Acompanhe as notícias e sempre saiba como tirar proveitos. Dessa forma, a compra do dólar ocorrerá somente quando a cotação estiver menor. Se souber que naquele momento os Estados Unidos farão anúncios de novidades econômicas ou políticas do Brasil, encontrará uma etapa de decisão, atente-se aos momentos da baixa.

Como fazer a identificação de notas falsas do Dólar?

Ao tocar o dólar, há a possibilidade de notar o caráter qualitativo do papel. Observe se a impressão tem nitidez e precisão, sem pontinhos manchados.

Faça a análise, também, da numeração da série, se há separação de modo alinhado ou uniforme. Há pontuação diferente na nota que não é falsa, em que pode-se perceber o relevo.

Ao fazer a inclinação da nota, você observará a numeração 100 em canto inferior direito. Em relação à nota US$100, que inclusive é um dos alvos de maior falsificação, existe um filete de segurança que pode ser visto em contato com a luz, bem como uma marca d’água da imagem de Benjamin Franklin.

A partir de lupas, observar-se-á a série de impressões pequenas que não são presentes em notas falsificadas.

Abreviação do Dólar

Tal código oficial para o Dólar, atualmente, nos EUA é o USD.

Em relação ao fundo de monetização internacional, o dólar tem abreviatura comum. Porém, pode-se também fazer uso do $ anteriormente ao valor pelo número. A sinalização é consequência de evolução de sigla de peso, em uso no séc XVIII.

O Dólar

O dólar dos Estados Unidos ou United States Dollar (USD) é a moeda corrente e oficial dos Estados Unidos, com cédulas expedidas pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

Elas são os únicos tipos de nota produzidos e emitidos pelos bancos da reserva atualmente e apoiada nos chamados “Ativos de Reserva”; Em outras palavras, nos títulos adquiridos pelo comitê federal de mercado em um processo de dívida monetizada.

Neste processo há a elevação da oferta monetária, tanto pela emissão de novas notas como pela criação de “depósitos”. Essas estratégias levam ao aumento da oferta monetária e a medida em que os empréstimos são pagos ou realizados depósitos, criam-se as bases para novos empréstimos.

A origem do nome dólar está associada ao conde da Bohemia, Hieronymus Schlick. Este deu início a cunhagem de moedas chamadas Joachimstalers (O thal ou tal alemão, cognato do dale inglês) no século XVI.

Cada uma das moedas cunhadas em Joachimstalers emprestaram o nome àquelas que possuíam tamanhos e pesos semelhantes, como é o caso do daler dinamarquês ou, claro, o dollar inglês.

As subunidades do Dólar

A saber, há o dime (1/10), o cent (1/100) e o mill (1/1000). As denominações inferiores a USD 1 são encontradas na forma de moeda, enquanto as superiores a este valor são emitidas em notas da Reserva Federal dos Estados Unidos.

As moedas têm início no Penny ou USD 0,01, seguidas pelo Nickel (USD 0,05), Dime (0,10), Quarter (0,25), Half dollar coin (0,50) e a moeda de 1 dólar (USD 1,00). Há imagens dos presidentes Lincoln, Jefferson, Roosevelt, George Washington e John F. Kenney impressas até as moedas de 0,50 cents.

A moeda de 1 dólar carrega a imagem de Sacagawea, a ameríndia que serviu de intérprete e guia a expedição de Lewis & Clark entre os anos de 1804 e 1806.

As notas partem da One dollar Bill e além dela, há notas de 2, 5, 10, 20, 50 e 100. Mais uma vez a imagem de presidentes aparece impressa junto a imagem de edificações de grande importância à história dos Estados Unidos.

Dólar Comercial

A moeda em sua forma comercial corresponde à cotação em paridade a moeda local, no caso, a relação entre o dólar e o real. Ela é utilizada como parâmetro em transações financeiras do mercado internacional, além de ser a base para importações e exportações.

Dólar Turismo

É o dólar obtido por pessoas que realizarão viagens ao exterior ou na obtenção de produtos e serviços internacionais pela internet. Ela é baseada no valor do dólar comercial, mas sobre ela incidem outras taxas.

A saber, há a incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), além das taxas cobradas pelas intermediadoras (agências turísticas, bancárias ou casas de câmbio), onde estão inclusos os valores por transporte e segurança da moeda, além de diversos outros que podem ser definidos pela agência responsável.

O que acontece em um modelo de câmbio flutuante é que, apesar de necessária a autorização do Banco Central para o funcionamento das intermediadoras responsáveis, não há a estipulação de uma taxa pela realização do serviço.

Dólar Paralelo

É considerado “paralelo” qualquer quantia do dólar obtida através de indivíduos ou agências que não possuam autorização do Banco Central para atuar enquanto intermediadora do processo de compra e venda de moedas estrangeiras.

A prática é ilegal e não fornece segurança alguma ao vendedor. Além disso, ela não é capaz de fornecer ao comprador o Comprovante de Compra da Moeda Estrangeira que pode ser solicitado pela Receita Federal antes de deixar o país.

Como as taxas flutuantes influenciam na compra do dólar

Em regimes de taxas flutuantes - como é o caso do dólar e do real -, os bancos centrais permitem que os valores sejam ajustados de acordo com a oferta e demanda da moeda no mercado estrangeiro.

Ele possui este nome pois apesar da definição do Banco Central sobre a oferta monetária, não há interferência alguma na fixação de preços, como mencionado anteriormente. As moedas “flutuam” em resposta às ocorrências do mercado financeiro.

Dólar: importação x exportação

A característica principal deste regime é que as taxas são definidas pelas forças de mercado, em especial a importação e a exportação.

Assim, se ocorre uma elevação nas exportações em território nacional, eleva-se também a oferta de dólares, fazendo com que diminua o seu valor de mercado (a chamada “desvalorização”), que pode ser interpretada também como valorização do real.

Por outro lado, se há aumento das importações, a demanda por dólares cresce pressionando a redução do real em relação ao dólar.

Quais são os impostos incidentes na compra do Dólar

Na compra de moedas estrangeiras há a incidência do já citado Imposto sobre Operações Financeiras, o IOF. De responsabilidade federal, ele é ele funciona como instrumento para a arrecadação alternativa do governo.

Em transações realizadas com o dólar em espécie, a alíquota incidente de IOF é de 1,1%. Já para as operações com o cartão pré-pago, incidem os 6,38% de IOF (como o dos cartões de crédito) e em remessas internacionais, apenas 0,38%.

É importante destacar que as alíquotas são estipuladas pelo Decreto Presidencial. A alteração de 0,38% para 1,1% na obtenção de moedas em espécie, por exemplo, foi feita com o intuito de reduzir as diferenças de obtenção da moeda em espécie para as demais formas (pré-pago e crédito).

A variação de preços encontrada na cotação do dólar hoje

Há muito questionamento a respeito dos valores diferentes da moeda em comparação aos exibidos por meios oficiais e pelos noticiários. Aqui, devemos considerar como diferenças fundamentais três elementos:

O primeiro diz respeito a equivalência de valores exibidos. Durante todo o dia ocorrem variações na moeda, de forma que a exibida por meios oficiais e/ou jornais, representa a cotação final do dia anterior.

Os dois outros fatores estão associados a flutuação do mercado de câmbio (que estipula o valor referente ao dólar comercial), seguido pela desregulamentação da prática pelos Bancos Centrais, permitindo que os valores sejam estipulados pelas intermediadoras responsáveis pela compra e venda da moeda.

Dicas para encontrar a menor cotação do Dólar

Quem está de viagem agendada deseja comprar dólar na menor cotação deve pesquisar - e muito! - pois existem grandes variações nos valores apresentados pelas principais casas de câmbio da cidade.

A escolha do local onde será efetuada a transação deve considerar não apenas os valores apresentados, mas as condições de pagamento na obtenção da moeda, as opções de retirada da quantia e as formas pelas quais o dólar pode ser obtido.

Além disso, é importante saber o valor esperado dos gastos de sua viagem para obter a moeda na quantia mais aproximada. A compra inferior aos gastos pode elevar o valor de sua viagem e voltar para a casa dotado de dólares não é também o cenário ideal.

3 dicas para comprar dólar na menor cotação

Antes de dar início as dicas é preciso destacar a importância de garantir que a casa de câmbio escolhida para a operação tenha a autorização do Banco Central do Brasil (BC) para atuar como tal.

As que não possuem estão à margem da legalização e das regulamentações estipuladas pelo BC e a atuação no mercado é ilegal. Este primeiro fator é fundamental para garantir a legalidade da transação e realizar o procedimento sem maiores dores de cabeça.

Outro fator a ser apontado diz respeito às variações existentes no preço da compra do dólar em todo o país e não apenas; os valores oscilam dentro do estado e até mesmo de uma cidade.

Isso acontece pois o Brasil adota um sistema de câmbio flutuante que permite que as agências de turismo, instituições bancárias e casas de câmbio estipulem os valores de sua operação sem controle do governo.

Funciona assim: O banco central divulga o valor do PTAX (a média das operações do mercado financeiro) que serve como referência ao câmbio, mas este valor não é obrigatório e é a razão de existirem tantas variações.

Pensando nisso, se você deseja comprar o dólar na menor cotação, atente-se as dicas:

i) Pesquise, pesquise e pesquise antes de fazer o câmbio do dólar

Pesquisar é fundamental, mas o mais importante é saber o que pesquisar. A busca inicial é sim pautada nos menores preços para a obtenção do dólar, mas é preciso tomar muito cuidado com o barato que pode sair caro (ou mesmo custar a viagem).

No momento de realizar a escolha pela casa de câmbio para a compra, atente-se às formas de pagamento e pontos de retirada da moeda. A segurança não deve ser ignorada neste momento.

Não é incomum nos depararmos com notícias de assaltos à casas de câmbio ou a indivíduos que realizam transações nestes estabelecimentos. Se pretende retirar grandes quantias, garanta a sua segurança.

Neste caso, há duas alternativas:

  • Certifique-se de ir acompanhado e tomar os procedimentos mínimos necessários para a sua segurança;
  • Obtenha a moeda através de plataformas online.

No último caso, as vantagens estão associadas e além da segurança e praticidade, é possível comprar dólar na menor cotação do mercado.

ii) Compre o dólar online

Apesar da prática ainda gerar grande receio, a compra online surge como a melhor alternativa na obtenção de moedas estrangeiras. A grande vantagem é que as plataformas que realizam estas operações possuem algoritmos que funcionam 24 horas por dia.

Isso significa que a cotação apresentada estará sempre atualizada, não havendo diferença no valor final da compra. A compra online é vantajosa por três motivos principais:

  • A comodidade;
  • Os melhores preços;
  • E a segurança.

Este último ponto é a razão para muitos não aderirem ao sistema de compras de moeda virtual e é preciso desmistificar alguns pontos a este respeito.

Em primeiro lugar, é possível verificar nas políticas de privacidade das empresas que realizam este tipo de operação sobre a utilização e processamento dos dados pessoais fornecidos por usuários.

Grande parte das empresas somente os utiliza com o consentimento ou através de disposições legais. Em outras palavras, as únicas informações consideradas serão àquelas necessárias para efetuar a operação.

Por fim, a grande dúvida: hackers podem roubar os meus dados? Pode ser que sim ou que não, mas empresas sérias e comprometidas com seus clientes certificam-se de utilizar sistemas de segurança e páginas em SLL (Secure Socket Layer) que permite a troca de informações com total segurança.

Você pode consultar o serviço de atendimento para obter informações sobre o sistema de segurança utilizado e também a adoção do SLL. Mas já adiantamos: grande parte das empresas o utilizam e este não deve ser motivo para preocupação.

Outro ponto relacionado a segurança está naquele que levantamos anteriormente: os riscos de roubo. As plataformas online disponibilizam - em grande parte -, a escolha do local para a retirada além da opção de delivery, pontos que falaremos mais a respeito no próximo tópico.

As vantagens de retirada da moeda no câmbio do dólar online

A compra em si, é um procedimento intuitivo. As plataformas geralmente oferecem o simulador e encaminham o consumidor a todos os passos seguintes e necessários para a conclusão da compra.

A grande dúvida permeia a obtenção do dinheiro em mãos: como será dado? Pois bem, ao realizar a compra do dólar online, você pode optar por duas formas de retirar a quantia:

  • Em local previamente cadastrados;
  • Através do serviço de delivery

Como mencionado, a compra online oferece praticidade, segurança e comodidade, mas o ponto de segurança não diz somente aos procedimentos realizados pelo site.

O delivery é um meio seguro de realizar a retirada, efetuado por profissionais especializados que seguem rotas previamente estipuladas para garantir a segurança da entrega.

Quanto é preciso comprar de dólar para a minha viagem aos EUA?

Ainda no começo da postagem mencionamos a importância de saber a quantia gasta no país de destino antes de obter a moeda. Os motivos são simples:

Caso você compre uma quantia inferior àquela gasta no país de destino, é possível que utilize o cartão de crédito internacional durante a viagem.

Além da alíquota de 6,38% de IOF, a cotação considerada será a do momento de efetivação da compra. Agora imagine um cenário onde ocorra a elevação do dólar durante a sua viagem? Para evitar prejuízos ou economias que acabam saindo mais caro, aproxime ao máximo os valores.

“Mas e se voltar para casa com o dólar valorizado?” Bem, será ótimo para a sua próxima viagem, mas vender para outras pessoas pode não ser a tarefa mais simples.

O que acontece é que o viajante que deseja sair do país (com o destino que for), precisa comprovar a origem deste valor à Receita Federal. Este sistema funciona para quem deixa o país com valores superiores a R$10.000.

“Mas eu não pretendo levar US$10.000”; Leia com atenção: R$10.000, ou aproximadamente US$3.000. Acredite: não é difícil deixar o país com esta quantia.

O viajante pode optar por obter legalmente a moeda - ainda que por custos superiores ao que você está oferecendo -, na busca pelas garantias da operação e para evitar complicações com a RF.

Como encontrar a menor cotação do Dólar

Quem está procurando pela menor cotação do Dólar deve abandonar a pesquisa em casas de câmbio físicas e agências bancárias, para realizar a busca em meio virtual, onde as taxas são reduzidas e a compra pode ser feita em um clique.

Este tipo de serviço é realizado por plataformas virtuais que mantém as cotações atualizadas 24 horas por dia, durante sete dias da semana e permitem que a compra seja realizada ao detectar o menor preço do dólar no mercado.

O mesmo funciona para a obtenção do Euro ou da Libra, que podem apresentar valores elevadíssimos nas principais cidades turísticas do Brasil, superando em 8,35% o valor referente ao dólar comercial.

Este fator ocorre devido a presença de turistas, vôos internacionais que partem da cidade e grande circulação de indivíduos de todas as partes do mundo com os mais variados propósitos.

Desta forma, para encontrar a menor cotação do Dólar em qualquer parte do país, a melhor alternativa ao usuário é a internet.

Se deseja saber mais a respeito, fique atento às recomendações da postagem e acompanhe as nossas dicas:

Onde encontrar a menor cotação do dólar

Os principais noticiários apresentam a cotação referente ao dólar comercial. Este é utilizado nas importações, exportações e operações do mercado financeiro, mas não é o mesmo que obtém-se em viagens de caráter turístico (ou para intercâmbios estudantis e profissionais).

Para os três últimos casos, a moeda utilizada é o dólar turismo. As agências responsáveis por sua comercialização podem ultrapassar em 8% o valor referente a moeda comercial.

Isso ocorre porque, apesar de necessária a autorização do Banco Central para a comercialização de moedas estrangeiras, não há uma taxa estipulada a ser cobrada pela realização do serviço.

Fica a critério da intermediadora a definição dos preços, o que encarece o produto em cidades turísticas em locais onde há grande demanda pelo Dólar.

Como comprar dólar mais barato com a Câmbio Store

Basta preencher o formulário cadastral, confirmar os dados e dar sequência às alternativas de pagamento. Logo após, selecionar a forma de retirada (através das casas parceiras) ou endereço cadastrado.

O serviço de delivery da empresa é realizado por profissionais treinados e que seguem rotas confidenciais previamente estipuladas e acompanhadas por uma equipe que garante a segurança de todo o trajeto.

A retirada em casa de câmbio localizadas em aeroportos e shoppings é possível através da parceria da Câmbio Store com as principais casas de câmbio do país, com a negociação prévia das taxas, eliminando a burocracia e as dores de cabeça para seus clientes.

As 3 dicas fundamentais para o câmbio do dólar online

a) Pesquise com antecedência

Assim como a Câmbio Store, há diversas outras plataformas que realizam a comercialização de moedas estrangeiras permitindo a retirada através do serviço de delivery.

O que vale nesse momento é garantir que as empresas parceiras possuam autorização do Banco Central e uma boa reputação diante de seus clientes, que pode ser consultada no Reclame aqui ou através do perfil nas redes sociais.

b) Não hesite ao encontrar os menores preços

O dólar é uma moeda que oscila, como qualquer outra em um regime de câmbio flutuante. Mas através do acompanhamento do histórico da moeda por meses e em anos anteriores, é possível identificar um padrão de comportamento.

Este padrão é influenciado por produtos e/ou eventos que ocorrem com certa regularidade, além de outros fatores referentes ao mercado econômico (como déficit na balança comercial e empréstimos com o FMI).

Ambos os pontos mencionados, apesar de interferirem no valor da moeda, não importam para os fins deste artigo. O que vale considerar é que apesar de ocorrerem oscilações que geram manchetes, a tendência de uma moeda é a de encontrar o equilíbrio da balança comercial.

O que significa que toda moeda apresenta uma tendência a valorização e desvalorização em intervalos de tempo. A importação promove o aumento na demanda por produtos estrangeiros. De forma que encarece a exportação e os principais mercados procuram outros fornecedores.

O que gera o déficit e o que promove a alteração em toda a dinâmica na busca por equilíbrio. Ou seja: Se detectar um bom valor na obtenção do dólar, não hesite ou aguarde mudanças consideráveis.

Considere como “menor preço” todos os serviços e não apenas o valor da moeda

A última e mais importante dica é para evitar o “barato que sai caro”, ao escolher por uma empresa que oferece as menores taxas, mas não é capaz de oferecer ao consumidor um serviço de qualidade.

Seja pela falta de transparência nas transações, pela limitação de seus produtos ou mesmo pelo atendimento prestado pelos funcionários aos clientes. Tudo isso entra na somatória geral da experiência de compra, que é o que o consumidor deve buscar para uma compra sem maiores complicações ou dores de cabeça.

O grande segredo para encontrar a menor cotação de moedas como o dólar em cidades turísticas ou de grande circulação (como shopping e aeroportos), é comparar os valores com aqueles encontrados pela internet.

Uma vez na internet, é o momento de pesquisar por empresas que possuam credibilidade no mercado e a confiança de parceiros e consumidores. Feito isso, é a hora de realizar a compra do dólar pela menor cotação do mercado!

Quando falamos sobre a cotação do dólar, estamos nos referindo ao preço da moeda em um determinado momento, sendo este valor definido pela demanda existente no mercado.

Quando há uma elevação na busca pelo dólar, os valores aumentam. O contrário também acontece quando reduz-se a procura pela moeda. Mas muito além disso, a cotação do dólar considera também a análise de outros dados referentes às taxas de câmbio ao dar início as operações do dia.

Entre as variáveis consideradas está a taxa de câmbio do dia interior, a situação presente do mercado financeiro, o desempenho dos principais centros econômicos, além de diversos outros.

Apesar de serem as variáveis mais destacadas, há inúmeros fatores que explicam as oscilações sofridas pelo dólar.

No que diz respeito às taxas do mercado cambial, elas se organizam entre a bid rate (compra), offer rate (venda) e há a incidência de um spread, que caracteriza a diferença entre o preço de venda e compra de uma moeda.

Como encontrar o menor valor do dólar

Há dois fatores decisivos para quem deseja encontrar as menores taxas do mercado na compra do dólar:

  • O primeiro deles diz respeito a pesquisas sobre o histórico da moeda em diferentes períodos do ano e intervalo de anos distintos;
  • O segundo fator fundamental, é o entendimento a respeito das flutuações cambiais, que podem ajudar a revelar o melhor momento para a compra.

Quando pesquisar sobre o histórico da moeda, é possível encontrar a quais fatores a sua valorização (ou desvalorização) responderam no período de ocorrência. Um bom exemplo é o registro histórico do dólar a R$4,00 no ano de 2015.

Esta elevação na moeda respondia a grande procura do dólar devido às preocupações do mercado com votações que ocorriam no Congresso dos Estados Unidos e a possibilidade da elevação de juros pelo Federal Reserve.

O que não é comum. Na verdade, a análise do histórico da moeda combinada ao entendimento sobre as flutuações cambiais permite entender os movimentos contrários que levam a moeda a um equilíbrio.

Neste momento, não consideramos fatores como o ocorrido em Setembro de 2015. Consideraremos um cenário onde ocorre a desvalorização do dólar. Este fator levará ao aumento das importações e a diminuição das exportações.

Esta elevação das importações pressupõe a existência de dólares em circulação. Porém, a redução das exportações leva a redução da oferta da moeda no mercado, o que eleva a sua cotação - tornando-a mais cara -, e reconduz o câmbio ao equilíbrio.>

Ao tornar-se valorizado no mercado, ocorrerá a diminuição das importações sendo seguida pela elevação das exportações. E há, mais uma vez, dólares em abundância.

A grande oferta da moeda reduz a cotação do dólar, o que eleva a sua demanda e cria o solo fértil para a retomada das importações. E mais uma vez, o ciclo se repete.

É importante destacar que o incentivo às importações prejudica as exportações e os países que importam mais que exportam, ao final de um período, apresentam déficit comercial.

Para realizar o fechamento das contas externas do país, é preciso liquidar o déficit. Entre as estratégias utilizadas há empréstimos junto a bancos, utilização de reservas cambiais (quando existentes) ou privatizações, como as ocorridas no Brasil ao final das décadas de 1980 e 1990 (e que respondiam a fatores pontuais da economia do período).

Feitas as considerações, não é preciso esperar tanto para realizar a compra da moeda pela menor cotação. O mais indicado é realizar o acompanhamento da moeda nos últimos dias através do histórico, considerar os movimentos do mercado financeiro, comercial (e preferencialmente, acompanhe as notícias) e, claro, a estabilidade política do país.

Ainda que a variação seja de centavos, qualquer sinal de queda poderá indicar o melhor momento para a compra.