Câmbio Store na mídia
Terra press releaseStartSe press releaseInfoMoney press releaseGlobo News press releaseAbra seu negócio press release

Conversão dirham real. Sem taxas escondidas.

Você pode levar horas para encontrar a melhor taxa de dirham. Economize seu tempo e dinheiro. Nós mostramos em tempo real as melhores cotações das casas de câmbio da sua cidade.

Dirham comercial nos últimos 30 dias.

Loading...
mapa dirham hoje

Melhor cotação de dirham hoje.

Realize sua troca com a melhor cotação de Dirham em nossa casa de câmbio online. Negociação sem barreiras geográficas.

dirham hoje seguro

Dirham 100% seguro com parceiros autorizados pelo Banco Central.

Você será notificado(a) via e-mail a cada estágio da sua compra ou venda de dirham. Além disso, você pode acompanhar pelo nosso website de onde estiver.

Não fique com
dúvidas

A Câmbio Store tem um Centro de Suporte completo para te ajudar em suas dúvidas e te auxiliar com a melhor experiência em dirham.

Central de Ajuda e Suporte

Algumas dúvidas frequentes

Saiba tudo sobre o Dirham

O Dirham

O Dirham (Sinal: د.إ ; Símbolo AED), é a moeda oficial e corrente dos Emirados Árabes Unidos. Apesar de seu código oficial ser o AED, o DH e o Dhs são também utilizados enquanto abreviaturas não-oficiais da moeda. O Dirham é emitido pelo Banco Central dos Emirados Árabes Unidos.

O Dirham é subdividido em fils (1/100). As moedas estão disponíveis no valor de 50 fils e também de 1 dirham. Há ainda as de 1, 5, 10 e 25 fils, mas dificilmente são encontradas no mercado regular. Por serem pouco utilizadas, quaisquer produtos e/ou serviços cobrados que sejam equivalentes a estes valores são arredondados para os múltiplos mais próximos de 25 fils. Quanto as notas bancárias, elas são encontradas nas denominações de 5, 10, 20, 50, 100, 200 e 500 Dirhams.

Os textos no anverso das notas bancárias do Dirham estão escritos em árabe com algarismos árabes orientais, enquanto o inverso está em inglês e algarismos arábicos. As notas do Dirham ilustram símbolos dos Emirados Árabes e de sua história. A de 100 dirhams estampa a imagem do Dubai World Trade Center; a de 50, o Forte Al Jahli (Forte pré-islâmico em Al-Ain) e a de 1000, apesar de pouco utilizada, exibe o horizonte de Abu Dhabi.

As principais diferenças entre o Dirham Comercial e o Dirham turismo

Quando falamos sobre Dirham comercial e/ou Dirham turismo, estamos nos referindo a cotação de uma moeda em um mesmo mercado, mas, em segmentos distintos. Para que fique claro, o Mercado de Câmbio Brasileiro é segmentado em dois setores: O Mercado de Câmbio de Taxas Livres (MCTL) e o Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes (MCTF).

No passado, o Mercado Livre e o Flutuante compreendiam mercados cambiais distintos. Após a unificação, a atividade aparece segmentada, mas ambos operam com regras distintas. A Unificação dos mercados de câmbio promoveu a simplificação destas regras, com maior flexibilidade documental ao Mercado Flutuante, além de ter gerado uma redução das incertezas (por parte de empresas e investidores). No entanto, esta unificação não modifica o marco legal existente.

O Dirham Comercial

Assim, o Dirham comercial é utilizado nas contratações de câmbio oriundas do comércio exterior, tais como as atividades de importação e exportação. Também para investimentos diretos em bolsa e pagamento de empréstimos. O Banco Central e agências bancárias são os agentes autorizados a operar neste mercado.

O Dirham Turismo

O Dirham Turismo é utilizado em viagens internacionais, sejam quais forem os seus fins (turismo, intercâmbio, profissional, etc). Além de ser comercializado pelo Banco Central e pelas agências bancárias, as agências turísticas e casas de câmbio podem também credenciar-se a operação, sujeita à autorização por parte do Banco Central. Há pequenas diferenças entre o valor do Dirham Comercial e do Dirham Turismo e elas dizem respeito aos adicionais inclusos pela intermediadora, geralmente associados ao transporte e segurança da moeda; a manutenção do espaço e de funcionários, além de outros.

Apesar de sujeito à autorização do Banco Central, os recursos utilizados neste tipo de mercado são oriundos dele próprio; por essa mesma razão, o Banco Central não estipula os valores a serem cobrados pelo serviço, existindo variações de uma cidade a outra ou em uma mesma cidade.

Quais os impostos incidentes na compra do Dirham

As operações de câmbio estão sujeitas ao IOF (Imposto sobre operações de crédito, câmbio, seguros e títulos ou valores mobiliários) e é de responsabilidade das instituições financeiras autorizadas a operar o câmbio o seu recolhimento. Na compra do Dirham em espécie, a alíquota incidente de IOF é correspondente a 1,1%. No caso dos créditos em cartões pré-pagos, há incidência de 6,38% de IOF e para as remessas internacionais incide a porcentagem de 0,38%.

A Origem do Dirham

O Dirham deriva do Dracma (δραχμή) grego e do Drachmae latino. O seu significado literal é “punhado”, servindo para designar uma unidade de peso utilizada em todo o norte da África, Oriente Médio e Pérsia (cada local com valores distintos). Sobrevivendo ao Império Otomano, o Dirham foi oficialmente introduzido nos Emirados Árabes Unidos no ano de 1973 e atrelado ao FMI em 1978.

Anterior ao Dirham, circulavam o Qatar e o Dubai Riyal (desde 1966 nos Estados, exceto Abu Dhabi). No período anterior a introdução do Dubai Riyal, todos os emirados que formam os Emirados Árabes Unidos usavam a Rúpia do Golfo.

A Economia dos Emirados Árabes Unidos

Com produto interno bruto (PIB), superior a US$ 400 bilhões, os Emirados Árabes Unidos compreendem a segunda maior economia do mundo árabe. É o Estado que possui a economia mais diversificada entre os membros do Conselho de Cooperação do Golfo, que permanecem dependentes do petróleo.

Aliás, a maioria dos Emirados Árabes Unidos ainda dependem das receitas oriundas do petróleo e do gás natural. Quase 80% da economia dos emirados nos últimos anos foram baseadas nas exportações de Petróleo. Dubai surge enquanto exceção neste cenário, com reservas de petróleo reduzidas e políticas diversificadoras ousadas.

Como as flutuações cambiais influenciam no valor do Dirham

O valor do Dirham, entre outras variáveis, considera as flutuações cambiais. Os distúrbios ocorridos no Comércio Exterior ditam as regras neste segmento do mercado. A exemplo, a elevação nas taxas de importação impactam diretamente no preço de compra de uma moeda e o mesmo ocorre quando há o aumento das exportações. Quando uma moeda “desvaloriza” (ou quando torna-se necessária uma quantia inferior em reais para obter o Dirham), a tendência é tornar-se abundante em certo mercado. A abundância promove a redução de sua cotação e elevação nas importações. Porém, a desvalorização de uma moeda estrangeira pode significar a valorização da moeda doméstica, reduzindo as exportações, uma vez que os investidores buscam pelos mercados mais baratos.

A longo prazo, a redução das exportações tornará a moeda estrangeira menos abundante em um determinado local, elevando-se o preço de obtenção no mercado. É quando ocorre a valorização da moeda e novos movimentos são feitos na busca pelo equilíbrio.

Há ainda outros fatores que influenciam na cotação do Dirham, mas as flutuações cambiais regem o mercado de taxas flutuantes e é preciso entender como afetam o valor de compra de uma moeda estrangeira.