Nossos Produtos

A forma mais segura e econômica de comprar Coroa Norueguesa hoje

Medal icon
Safety icon
World icon
Trustpilot logo
Stars

Câmbio Store
na mídia

Cotação Coroa Norueguesa turismo real. Sem taxas escondidas.

Você pode levar horas para encontrar a melhor taxa de coroa norueguesa. Economize seu tempo e dinheiro. Nós mostramos em tempo real as melhores cotações das casas de câmbio da sua cidade.

Coroa Norueguesa comercial nos últimos 30 dias

Loading...
mapa-coroa-norueguesa

Melhor cotação de Coroa Norueguesa hoje. Troque moedas estrangeiras de qualquer lugar do mundo.

Negociações sem barreiras geográficas. Realize sua troca com a melhor cotação de Coroa Norueguesa em nossa casa de câmbio online.

coroa-norueguesa-seguro

Coroa Norueguesa 100% seguro com parceiros autorizados pelo Banco Central.

Você será notificado(a) via e-mail e sms a cada estágio da sua compra ou venda de coroa norueguesa. Além disto, você pode acompanhar pelo nosso website de onde estiver.

Não fique com
dúvidas

A CâmbioStore tem um Centro de Suporte completo para te ajudar em suas dúvidas e te auxiliar com a melhor experiência em coroa norueguesa.

Central de Ajuda e Suporte

Algumas dúvidas frequentes

A Coroa Norueguesa Turismo

O segundo segmento do mercado cambial brasileiro é o “flutuante” (Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes) e nele opera a moeda “turismo”. A Coroa Norueguesa turismo é utilizada em viagens internacionais, sejam elas a turismo, trabalho ou intercâmbio. Além do Banco Central e das agências bancárias, neste tipo de mercado as agências turísticas e casas de câmbio podem credenciar-se à operação. A moeda internacional comercializada não compromete os recursos do Banco Central, uma vez que está restrita a circulação que ocorre dentro do segmento.

A Coroa Norueguesa

A Coroa Norueguesa é emitida pelo Banco Central da Noruega e sua subunidade é o øre (1/100). O menor valor de moeda disponível é de 1 coroa (krone), seguido pelas moedas de 5, 10 e 20 Coroas (kroner). As moedas de 1 e 5 Coroas costumavam carregar a efígie real, sendo substituído posteriormente por símbolos nacionais ou estilísticos reais. A moeda de 10 coroas é representada pela Ordem de São Olav e a moeda de 20 coroas por Harald V, rei da Noruega desde 1991. As notas de banco da Coroa Norueguesa estão disponíveis nos valores de 50, 100, 200, 500 e 1000 Coroas (kroner). No anverso da nota de 50 está a imagem de Peter Christen Asbjørnsen (escritor e estudioso). A de 100, desde o ano de 2017 é ilustrada pelo Navio Gokstad (as de 2006 carregavam a imagem de Kirsten Flagstad). O Navio Gokstad é um símbolo norueguês que refere-se ao navio viking do século IX encontrado em Gokstad e exposto no Museu do Navio Viking de Oslo. As notas de 200 Coroas são ilustradas com a figura de Kristian Birkeland, as de 500 a imagem de Sigrid Undset e as de 1000 com Edvard Munch (todos eles símbolos do governo ou da cultura norueguesa).

A história da Coroa Norueguesa

A Coroa Norueguesa ou Norsk Krone (NOK) é a moeda corrente e oficial utilizada na Noruega e nos territórios de sua dependência. O valor da Coroa Norueguesa varia consideravelmente de um ano a outro, devido as mudanças no valor do petróleo (o país é um dos principais exportadores de petróleo do mundo) e também nas oscilações das taxas de juro decorrentes.

A Origem da Coroa Norueguesa

O mais antigo registro de moedas na Noruega data aproximadamente o ano 1.000. Na época, utilizava-se o centavo, cuja criação é atribuída a Olav Tryggvason. Apesar disso, durante anos moedas não foram cunhadas no país, que satisfazia as necessidades monetárias de seu Governo através da importação de moedas estrangeiras. Após mais de 600 anos nesta dinâmica, em 1628 foi introduzida em Christiania (Oslo atual) uma moeda local, com seu valor baseado no padrão-prata. O primeiro Banco Central norueguês foi fundado no ano de 1736 e a sua tarefa era emitir notas. A falta de controle sobre a emissão de notas, elevou a quantia em circulação, sendo necessária a fundação de um novo banco para a regularização do sistema monetário. Esta medida não solucionou o problema, sendo necessária a criação de um novo banco que, falhando novamente na resolução, culminou na criação do Norges Bank em 1816. Em 1875, com a União Monetária Escandinava, o padrão-prata foi substituído pelo padrão-ouro e a Coroa Norueguesa passou a assumir a forma que possui hoje - apesar de subsequentes transformações. A primeira guerra mundial foi decisiva para a União Monetária Escandinava, pois o banimento de exportações de ouro e prata levou à crise e ao aumento da inflação, reduzindo a confiança do mercado financeiro e comercial na Coroa Norueguesa. Com a abolição do padrão-ouro, os países nórdicos promoveram uma reforma monetária. A União escandinava deixou de existir, dando lugar a três novas moedas independentes: A Coroa Norueguesa, a Coroa Sueca e a Coroa Dinamarquesa.

Coroa Norueguesa Comercial

Há no mercado cambial brasileiro dois segmentos. O primeiro deles, conhecido como “mercado livre” (Mercado de câmbio de Taxas livres), é onde opera a moeda em sua versão “comercial”. Neste caso, onde atuará a Coroa Norueguesa Comercial. Somente agências bancárias designadas e o Banco Central possuem autorização para atuar no Mercado Livre. A moeda comercial é utilizada para operações de comércio exterior (como importação e exportação); além de ser através dela que os governos realizam transações internacionais.

O Mercado Paralelo da Coroa Norueguesa

Qualquer indivíduo e/ou agência que comercialize a Coroa Norueguesa sem a autorização do Banco Central estará atuando no mercado paralelo de moedas estrangeiras, considerado ilegal. Este mercado deriva do “Mercado Negro”, popularizado na década de 1990 como o meio através do qual narcotraficantes colombianos tornavam legal o dinheiro oriundo do tráfico. No Brasil, as práticas ilícitas na comercialização de moedas pelo mercado paralelo estão comumente associadas a corrupção e a impossibilidade de rastreio pela Receita Federal do envio de grandes quantias ao exterior.

Como as flutuações cambiais interferem na cotação da Coroa Norueguesa

Apesar da existência de dois mercados cambiais que operam de formas distintas, o “flutuante” está associado ao “livre”, pois é a partir dele que são definidos os valores cobrados por uma moeda estrangeira. Estas, estão sujeitas principalmente aos distúrbios do comércio exterior. Uma elevação nas importações, torna ampla a oferta da moeda estrangeira, sendo necessário um investimento menor para obtê-la. É quando dizemos que ocorreu uma “desvalorização” na moeda. Por outro lado, a desvalorização pode significar, na verdade, a valorização da moeda doméstica. Neste caso, as exportações tendem a apresentar uma queda, uma vez que os investidores buscam pelos mercados mais baratos. A consequência deste processo é a diminuição da disponibilidade da moeda estrangeira em um dado local, fazendo com que ocorra uma elevação nos valores cobrados por ela (em outras palavras, ocorre a “valorização” de uma moeda em relação a moeda doméstica).

Quais são os impostos incidentes na compra da Coroa Norueguesa

Existem três produtos principais comercializados para quem deseja obter a Coroa Norueguesa Turismo. São eles: A moeda em espécie, os créditos pré-pagos e a realização de remessas internacionais. Há a incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), quando dada a comercialização da Coroa Norueguesa é de 1,1% de IOF para a moeda em espécie. Nos créditos pré-pagos, 6,38% de IOF e nas remessas internacionais 0,38% de IOF.

Coroa Norueguesa: estamos em todas capitais do Brasil. Veja alguns exemplos da nossa capilaridade.

Acre (AC), Alagoas (AL), Amapá (AP), Amazonas (AM), Bahia (BA), Ceará (CE), Distrito Federal (DF), Espírito Santo (ES), Goiás (GO), Maranhão (MA), Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS), Minas Gerais (MG), Pará (PA), Paraíba (PB), Paraná (PR), Pernambuco (PE), Piauí (PI), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Norte (RN), Rio Grande do Sul (RS), Rondônia (RO), Roraima (RR), Santa Catarina (SC), São Paulo (SP), Sergipe (SE) e Tocantins (TO).