alta do dólar

A alta do dólar é um assunto frequente na vida de toda a população. Isso porque, diariamente, grande parte dos jornais televisivos e impressos mostram o impacto dessa variação na hora da compra da moeda estrangeira para viagens ou compras em sites internacionais.

O aumento do dólar pode abalar desde coisas mais básicas, como o preço do leite, da carne ou de qualquer outro alimento, até atividades mais complexas, como a exportação, o mercado financeiro e o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.

Por que existe tanta oscilação no mercado?

Essa alta acontece porque a cotação dólar é estabelecida pela lei de oferta e demanda entre a moeda dos Estados Unidos e a moeda brasileira. Ou seja, quando o número de procura de dólares no Brasil cresce, existe esse aumento.

Em períodos de crise no país, por exemplo, o governo interfere para controlar esse mercado. Isso acontece para evitar o dólar em alta ou depreciação em excesso da moeda.

Quais são os fatores que influenciam na alta do dólar?

São vários os motivos que influenciam e atingem direta e indiretamente a instabilidade econômica e deixam o dólar em alta. Isso acaba afetando o número de empregos, a alta nos juros, a taxa de inflação e a cotação do dólar.

Câmbio Flutuante

Desde 1999, o Brasil é um país que tem uma economia que funciona por banda cambial, ou seja, mínimo e máximo de dólar. E mais, a taxa de câmbio dólar não é definida pelo governo e varia conforme a procura no mercado.

Gastos que acontecem fora do país também servem para medir se a alta do dólar está valendo. Quando a moeda nacional está baixa e desvalorizada, o consumo no exterior acaba sendo menor. Já quando está em alta, o nível de gastos aumenta.

Juros da moeda

Quando os juros do dólar estão abaixo da média, os investidores buscam economias em países de terceiro mundo, pois a rentabilidade acaba sendo maior. E quando os dólares entram em economias como a do Brasil, o valor do real acaba sendo valorizado e o poder de importação aumenta.

Reservas cambiais

A reserva cambial é quando a moeda estrangeira ou ouro são acumulados por um país. Essa reserva é fundamental para as negociações realizadas em dólar e para o pagamento de fornecedores.

Crises financeiras

Esse é um dos pontos que mais interferem, afinal, nenhum investidor vai querer investir em uma economia que corre risco e pode atingir o valor do dólar . Por isso, a valorização do dólar é praticamente indispensável.

Dólar turismo x Dólar comercial

Saber a diferença desses dois modelos de compra também é necessário para entender a alta do dólar e comprar a moeda mais em conta. Em transações feitas na bolsa de valores ou importações e exportações é utilizado o dólar comercial. Ele é mais barato porque as tributações que envolvem empresas e o governo acabam sendo maiores.

Já a moeda usada pela população é o dólar turismo, que acaba sendo maior por não ter sua negociação feita para pessoas jurídicas. Essa modalidade é usada para compras em sites internacionais, viagens ou qualquer atividade realizada no exterior. Por isso, é importante saber o preço do dólar antes da compra.

Impostos na moeda estrangeira

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é pago nas principais transações financeiras que são crédito, câmbio e seguros. Além disso, é uma taxa presente em qualquer operação relacionada a imóveis ou bolsas de valores.

Esse é um imposto federal, ou seja, comprado obrigatoriamente. Na Câmbio Store, o percentual de compra da moeda em espécie ou transferência bancária internacional para conta de mesma titularidade é de 1,1%. Com transferências feitas para outro titular, o valor fica em 0,38%.

O carregamento de cartão pré-pago e cartão de crédito e débito na função saque internacional acaba sendo de 6,38%. No entanto, mesmo com essas taxas, acaba sendo vantajosa a compra de produtos no exterior. O que importa é saber o valor do dólar hoje ou na data em que fizer a compra.

Share: