Câmbio Store na mídia
Terra press releaseStartSe press releaseInfoMoney press releaseGlobo News press releaseAbra seu negócio press release

Casas de Câmbio reais.

Você pode levar horas para encontrar a melhor taxa de câmbio. Economize seu tempo e dinheiro. Nós mostramos em tempo real as melhores cotações das casas de câmbio da sua cidade.

Câmbio comercial nos últimos 30 dias.

Loading...
mapa cambio hoje

Melhor cotação entre casas de câmbio.

Realize sua troca com a melhor cotação em nossa casa de câmbio online. Negociação sem barreiras geográficas, com a melhor taxa de câmbio.

cambio hoje seguro

Câmbio 100% seguro com parceiros autorizados pelo Banco Central.

Você será notificado(a) via e-mail a cada estágio da sua compra ou venda de moeda. Além disso, você pode acompanhar pelo nosso website de onde estiver. Garanta a melhor cotação de moedas disponível!

Não fique com
dúvidas

A Câmbio Store tem um Centro de Suporte completo para te ajudar em suas dúvidas e te auxiliar a encontrar a melhor taxa de câmbio, dentre as melhores casas de câmbio do mercado.

Central de Ajuda e Suporte

Algumas dúvidas frequentes

Saiba como encontrar o melhor câmbio em casas de câmbio

CASA DE CÂMBIO

Quem está de viagem agendada para os Estados Unidos e deseja comprar câmbio na menor cotação deve pesquisar - e muito! - pois existem grandes variações nos valores apresentados pelas principais casas de câmbio da cidade.

A escolha do local onde será efetuada a transação deve considerar não apenas os valores apresentados, mas as condições de pagamento na obtenção da moeda estrangeira, as opções de retirada da quantia e as formas pelas quais o dólar pode ser obtido.

Além disso, é importante saber o valor esperado dos gastos de sua viagem para obter a moeda na quantia mais aproximada. A compra inferior aos gastos pode elevar o valor de sua viagem e voltar para a casa dotado de moeda estrangeira não é também o cenário ideal.

3 DIAS PARA ENCONTRAR A MENOR COTAÇÃO EM CASAS DE CÂMBIO

Antes de dar início as dicas é preciso destacar a importância de garantir que a casa de câmbio escolhida para a operação tenha a autorização do Banco Central do Brasil (BC) para atuar como tal.

As que não possuem estão à margem da legalização e das regulamentações estipuladas pelo BC e a atuação no mercado é ilegal. Este primeiro fator é fundamental para garantir a legalidade da transação e realizar o procedimento sem maiores dores de cabeça.

Outro fator a ser apontado diz respeito às variações existentes no preço da compra do câmbio em todo o país e não apenas; os valores oscilam dentro do estado e até mesmo de uma cidade.

Isso acontece pois o Brasil adota um sistema de câmbio flutuante que permite que as agências de turismo, instituições bancárias e casas de câmbio estipulem os valores de sua operação sua margem de lucro.

Funciona assim: O banco central divulga o valor do PTAX (a média das operações do mercado financeiro) e/ou câmbio comercial que serve como referência ao câmbio, mas este valor não é obrigatório e é a razão de existirem tantas variações.

i) Pesquise muito e compare o câmbio antes de comprar sua moeda estrangeira

Pesquisar é fundamental, mas o mais importante é saber o que pesquisar. A busca inicial é sim pautada nos menores preços para a obtenção do câmbio turismo, mas é preciso tomar muito cuidado com o barato que pode sair caro (ou mesmo custar a viagem).

No momento de realizar a escolha pela casa de câmbio, atente-se às formas de pagamento e pontos de retirada da moeda. A segurança não deve ser ignorada neste momento.

Não é incomum nos depararmos com notícias de assaltos à casas de câmbio. Se pretende retirar grandes quantias, garanta a sua segurança.

Neste caso, há duas alternativas:

  • Certifique-se de ir acompanhado e tomar os procedimentos mínimos necessários para a sua segurança;
  • Obtenha a moeda através de plataformas online.

No último caso, as vantagens estão associadas e além da segurança e praticidade, é possível comprar dólar na menor cotação do mercado.

ii) Faça o câmbio online

Apesar da prática ainda gerar grande receio, a compra online surge como a melhor alternativa na obtenção de moedas estrangeiras. A grande vantagem é que as plataformas que realizam estas operações possuem algoritmos que funcionam 24 horas por dia.

Isso significa que a cotação apresentada estará sempre atualizada, não havendo diferença no valor final da compra. A compra online é vantajosa por três motivos principais:

  • A comodidade;
  • Os melhores preços;
  • E a segurança.

Este último ponto é a razão para muitos não aderirem ao sistema de compras de moeda virtual e é preciso desmistificar alguns pontos a este respeito.

Em primeiro lugar, é possível verificar nas políticas de privacidade das empresas que realizam este tipo de operação sobre a utilização e processamento dos dados pessoais fornecidos por usuários.

Grande parte das empresas somente os utiliza com o consentimento ou através de disposições legais. Em outras palavras, as únicas informações consideradas serão àquelas necessárias para efetuar a operação.

Por fim, a grande dúvida: hackers podem roubar os meus dados? Pode ser que sim ou que não, mas empresas sérias e comprometidas com seus clientes certificam-se de utilizar sistemas de segurança e páginas em SLL (Secure Socket Layer) que permite a troca de informações com total segurança.

Você pode consultar o serviço de atendimento para obter informações sobre o sistema de segurança utilizado e também a adoção do SLL. Mas já adiantamos: grande parte das empresas o utilizam e este não deve ser motivo para preocupação.

Outro ponto relacionado a segurança está naquele que levantamos anteriormente: os riscos de roubo. As plataformas online disponibilizam - em grande parte -, a escolha do local para a retirada além da opção de delivery, pontos que falaremos mais a respeito no próximo tópico.

As vantagens de retirada da moeda na compra do câmbio online

A compra em si, é um procedimento intuitivo. As plataformas geralmente oferecem o simulador e encaminham o consumidor a todos os passos seguintes e necessários para a conclusão da compra.

A grande dúvida permeia a obtenção do dinheiro em mãos: como será dado? Pois bem, ao realizar a compra do câmbio online, você pode optar por duas formas de retirar a quantia:

  • Em local previamente cadastrados;
  • Através do serviço de delivery.

Como mencionado, a compra online oferece praticidade, segurança e comodidade, mas o ponto de segurança não diz somente aos procedimentos realizados pelo site.

O delivery é um meio seguro de realizar a retirada, efetuado por profissionais especializados que seguem rotas previamente estipuladas para garantir a segurança da entrega.

QUANTO EM MOEDA ESTRANGEIRA PREVISO LEVAR PARA A MINHA VIAGEM?

Ainda no começo da postagem mencionamos a importância de saber a quantia gasta no país de destino antes de obter a moeda. Os motivos são simples:

Caso você compre uma quantia inferior àquela gasta no país de destino, é possível que utilize o cartão de crédito internacional durante a viagem.

Além da alíquota de 6,38% de IOF, a cotação considerada será a do momento de efetivação da compra. Agora imagine um cenário onde ocorra a elevação do dólar durante a sua viagem? Para evitar prejuízos ou economias que acabam saindo mais caro, aproxime ao máximo os valores.

“Mas e se voltar para casa com o dólar valorizado?” Bem, será ótimo para a sua próxima viagem, mas vender para outras pessoas pode não ser a tarefa mais simples.

O que acontece é que o viajante que deseja sair do país (com o destino que for), precisa comprovar a origem deste valor à Receita Federal. Este sistema funciona para quem deixa o país com valores superiores a R$10.000.

“Mas eu não pretendo levar US$10.000”; Leia com atenção: R$10.000, ou aproximadamente US$3.000. Acredite: não é difícil deixar o país com esta quantia.

O viajante pode optar por obter legalmente a moeda - ainda que por custos superiores ao que você está oferecendo -, na busca pelas garantias da operação e para evitar complicações com a RF.

A MENOR TAXA DE CÂMBIO GARANTIDA

Quem deseja encontrar a taxa de câmbio mais barata deve estar atento(a) a alguns fatores fundamentais ao realizar a compra da moeda. Nem sempre os preços mais baixos são as melhores alternativas do mercado e vamos explicar o porquê.

O mercado paralelo aparece recheado de ofertas tentadoras e preços reduzidíssimos na obtenção da moeda. Há também casas de câmbio e agências turísticas que apresentam valores tentadores, mas omitem algumas informações sobre o serviço.

Dicas fundamentais para encontrar a taxa de câmbio mais barata

A primeira recomendação, já mencionada anteriormente, diz respeito ao mercado paralelo. É preciso reforçar que esta é uma prática ilegal e não regulamentada pelo Banco Central do Brasil (BC ou BACEN).

Ao realizar a compra de uma moeda estrangeira, certifique-se que o local possui autorização para realizar a atividade. Somente após garantir a legalidade da operação, dê início a busca pela taxa de câmbio mais barata.

Mas como? A gente te conta:

1 - Através de Pesquisa de Valores

Existem diferenças nos valores apresentados por cada casa de câmbio do Rio de Janeiro e é importante realizar uma pesquisa de cotações para optar pelo serviço que saia mais em conta, conseguindo economizar durante a troca.

Apesar de haver a regulamentação da prática pelo Banco Central, o mesmo não interfere nos valores estipulados por agências e casas de câmbio nas operações de comercialização da moeda.

Isso permite a existência de grande variedade de preços por uma mesma moeda em diferentes locais. Um outro ponto a destacar é que somente o preço não deve ser o fator de escolha.

O segredo da busca é por serviços de qualidade atrelado aos melhores preços, ainda que não sejam os valores mais baixos do mercado. Uma boa alternativa são as plataformas virtuais, que possuem algoritmos mantendo as cotações 24 horas por dia atualizadas, fornecendo alternativas reais e com todas as taxas de serviço inclusas.

2 - Empresas que forneçam comprovante de compra

Aqui, voltamos mais uma vez a importância de dar preferência às agências, instituições e casas de câmbio autorizadas pelo Banco Central. O que ocorre ao final da operação é a emissão de um comprovante de compra.

Mas como isso pode ajudar a encontrar a melhor taxa de câmbio? Bem, este comprovante é utilizado pela Receita Federal no momento em que o indivíduo deixa o país.

Para quantias superiores a R$10.000 é preciso apresentar esta documentação (vale lembrar que a compra pelo mercado paralelo ou através de conhecidos não é capaz de fornecer essa garantia).

Não apresentar este documento ou ser incapaz de confirmar a origem do dinheiro pode gerar grandes dores de cabeça e prejudicar a sua viagem (quando não a impedir de acontecer).

3 - Através da reputação de empresas

Mais uma vez, esta indicação é para evitar o barato que sai caro.

Antes de concluir a compra, verifique o que os consumidores estão dizendo no Reclame Aqui da empresa escolhida. Os perfis nas redes sociais e avaliações pelo Google são também capazes de revelar a experiência de outros usuários no momento da compra.

Se existirem quaisquer pontos que não são mencionados na oferta do produto, certamente os usuários estarão falando a respeito e isso pode evitar que você entre em uma fria.

A compra de moedas em casas de câmbio online

Qualquer um que tenha realizado uma pesquisa simples nos principais mecanismos de busca sabe que existem plataformas virtuais que realizam a comercialização de moedas estrangeiras.

Havendo diversas alternativas, no momento da escolha é importante considerar àquela que preze pela experiência de compra do usuário e forneça atendimento de qualidade.

Na Câmbio Store o cliente possui acompanhamento durante todas as etapas de compra, além de ter acesso a todas as informações pela página oficial e atendimento telefônico de segundas às sextas, das 9h às 18h.

E tem mais: A empresa possui parceria com as principais casas de câmbio do país, permitindo que sejam encontradas as taxas de câmbio mais baratas e a retirada da quantia obtida com as principais parcerias da plataforma.

A diferença entre câmbio comercial x turismo (encontrado em casas de câmbio)

No ano de 2005, o mercado de câmbio no Brasil foi unificado em um único mercado legal. Desta forma, foram definidos os mercados de câmbio de Taxas Livres (ex: o dólar comercial) e o das taxas flutuantes (dólar turismo).

  • O dólar chamado comercial (ou qualquer moeda que apresenta esta designação), é utilizado em operações financeiras (importações, exportações, empréstimos, outros);
  • O turismo, é comercializado por agências turísticas, bancárias e casas de câmbio a quem pretende viajar para o exterior.

Os valores entre as duas moedas variam, pois no segundo caso, incidem as taxas de serviço da intermediadora (seja lá qual for a instituição de escolha), estipulados pela mesma.

O que é taxa de câmbio?

As taxas de câmbio são os valores das moedas estrangeiras cobrados por agências regulamentadas pelo Banco Central. Como visto, existem as taxas flutuantes e as taxas livres.

As flutuantes, que nos interessam, variam de acordo com a oferta e demanda do mercado financeiro e estão sujeitas, claro, as flutuações cambiais, que podem levar a apreciação ou depreciação de uma moeda.

A apreciação consiste na elevação do valor de uma moeda em relação a outra e a depreciação representa o fenômeno contrário. A valorização cambial torna as importações mais baratas, sendo necessários menos reais para adquirir uma outra moeda, como o dólar.

A demanda por produtos importados aumenta na medida em que estes ficam mais baratos. O problema é que ao ocorrer a elevação das importações, em algum momento será gerado o déficit comercial.

Os valores de déficit devem ser sanados o quanto antes para o fechamento do Balanço de Pagamentos da União (como ocorre em uma empresa). Ele pode ser financiado ou pago através de reservas cambiais (quando existentes).

O grande problema de financiamentos - como os feitos junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI), é que ele implicará em medidas que quase sempre levam um país à recessão.

Estes fatores explicam, por exemplo, a posição do real diante de uma moeda como o dólar. Ao introduzir o plano real na década de 1990, o valor da moeda foi pareado junto ao dólar (ou seja, US$1 = R$1). Isto elevou a demanda por importações e resultou em acúmulo dos déficits comerciais.

O que interfere na valorização da moeda diante do mercado internacional, de forma inevitável.

COMO COMPARAR RAPIDAMENTE AS DIVERSAS COTAÇÕES ENTRE AS CASAS DE CÂMBIO EM SUA CIDADE?

A compra de moedas estrangeiras exige muito cuidado e pesquisa por parte do comprador. Afinal, como escolher o local onde será feita a compra? Onde encontrar as melhores casas de câmbio em {{city}}? Para além, como saber que a cotação encontrada corresponde as menores taxas do mercado?

A resposta para todas as perguntas é simples: Através de plataformas virtuais que possuem parceria com Casas de Câmbio em todo o país e mantém as cotações atualizadas 24 horas por dia. Através deste serviço, o cliente recebe suporte no início do processo de compra e é acompanhado até a retirada do produto adquirido.

A Cambio Store é hoje uma das principais no segmento, com amplo catálogo de moedas e canais de atendimento voltados à dúvidas e solução de quaisquer problemas. A Cambio Store é parceira de Casas de Câmbio em {{City}} autorizadas a operar pelo Banco Central e reconhecidas pela excelência do serviço. A empresa auxilia ainda o comprador que busca pelas menores cotações do mercado.

Como encontrar a menor cotação de uma moeda

Há 3 elementos-chave para quem deseja encontrar os menores preços na compra de uma moeda estrangeira. O primeiro deles diz respeito a compreensão sobre os diferentes segmentos do mercado cambial brasileiro e como afetam o valor de compra.

O segundo apresenta os riscos do mercado paralelo de moedas estrangeiras. Por fim, a pesquisa e a observação sobre as taxas e impostos incidentes na compra de uma moeda são capazes de relevar se promessas e valores apresentados por uma Casa de Câmbio correspondem ao total cobrado ao concluir a operação.

Os segmentos do mercado cambial brasileiro

A saber, há dois segmentos principais no mercado cambial brasileiro: O mercado de câmbio de taxas livres (MCTL) e o mercado de câmbio de taxas flutuantes (MCTF). Entender como funcionam e quais as moedas trabalhadas em cada um desses segmentos, podem revelar o melhor momento para a compra.

Mas como? Bem, todos sabemos que o mercado flutuante de câmbio é extremamente volátil e isso ocorre pois neste tipo de mercado, não há intervenção direta de Bancos Centrais. Eles apenas autorizam a operação, mas, por não utilizarem seus recursos, não intervêm estipulando valores máximos ou mínimos cobrados na comercialização de moedas.

O mercado de câmbio de taxas flutuantes responde única e exclusivamente aos distúrbios do comércio exterior, neste caso, as operações de importação e exportação. Estas, por outro lado, ocorrem dentro do Mercado de câmbio de taxas livres.

O mercado de câmbio de taxas livres é àquele voltado a transações entre governos, ao pagamento de empréstimos ou investimentos no exterior e, claro, é o segmento onde ocorrem as importações e exportações.

Quando falamos sobre o mercado de câmbio de taxas livres, a moeda utilizada é por vezes referida como “comercial”. Os únicos agentes autorizados a comercializá-la são as agências bancárias e o próprio Banco Central. Neste caso, o valor da moeda é definido por sua demanda.

Já o mercado de câmbio de taxas flutuantes, responde aos distúrbios do mercado. Diferente do “livre”, neste opera a moeda “turismo”, voltada à viagens internacionais e manutenção de indivíduos no exterior, seja em viagens turísticas, intercâmbios estudantis e profissionais, ou mesmo quando é dada a compra de produtos por sites que só aceitam pagamentos em moeda internacional.

Neste segmento do mercado, além do Banco Central e das agências bancárias, Casas de câmbio e turísticas podem credenciar-se a operação. O que é preciso entender sobre as flutuações cambiais - e como escolher o melhor momento para a compra -, é simples:

No mercado de câmbio de taxas flutuantes, há sempre a busca por “equilíbrio”, de forma que moedas valorizadas e/ou desvalorizadas, tendem a manter-se estáveis na maior parte do tempo ou com oscilações pouco consideráveis.

Quando falamos que uma moeda valorizou, estamos dizendo que tornou-se necessária uma quantia maior da moeda doméstica (no caso, o Real) para obter uma moeda estrangeira. A desvalorização, por outro lado, representa o oposto: é preciso uma quantia inferior de Reais para obter outra moeda. A desvalorização é, na verdade, a valorização da moeda doméstica.

Quando ocorre o aumento nas importações, eleva-se também a disponibilidade da moeda estrangeira em território nacional. A grande oferta da moeda, reduz o seu valor de mercado, tornando-a mais acessível (ou “desvalorizada”). Porém, ao encararmos a situação como a valorização do real, entendemos o por quê de retomar o equilíbrio.

A longo prazo, o aumento de importações resultará na diminuição das exportações. Isso porque há sempre a busca dos investidores por mercados mais acessíveis e mão-de-obra barata. Ao reduzir as exportações, torna-se menos abundante a presença da moeda estrangeira, encarecendo os custos de obtenção.

Este movimento sempre ocorrerá em um mercado flutuante. Uma das formas de encontrar a menor cotação é acompanhando o histórico da moeda; as elevadas taxas de importação e/ou exportação de um país, em intervalos mensais ou anuais, podem revelar o melhor momento para a compra (considerando a redução de preços com a intensificação das importações ou o contrário, quando há elevação de exportações).

O mercado paralelo de moedas estrangeiras

O mercado paralelo tem origem no chamado “mercado negro”, que teve nomenclatura abandonada pela inadequação do termo ao associá-lo à práticas ilícitas.

Este mercado tornou-se um grande conhecido dos Bancos Centrais por promover a redução no valor de obtenção de uma moeda para converter o dinheiro oriundo de práticas ilegais a um dinheiro legal e circulante.

O “mercado negro” foi identificado na Colômbia durante 1990, mas amplia-se às operações de diversas partes do mundo, inclusive no Brasil. No país, diferente do que acontecia em território colombiano, as práticas ilegais do Mercado Paralelo estão associadas à corrupção e a transações de grandes valores irrastreáveis pela Receita Federal.

A prática é considerada ilegal e passível a punição. Enquadra-se no mercado paralelo qualquer indivíduo e/ou instituição que comercialize a moeda estrangeira sem autorização do Banco Central. Isto inclui, inclusive amigos, familiares e conhecidos que desejam negociar moedas que possuem.

A Pesquisa anterior a compra

Plataformas como a Cambio Store eliminam a parte complicada do trabalho, afinal, a página apresenta as menores cotações entre inúmeras parceiras espalhadas por todo o país.

O usuário que deseja realizar a pesquisa por conta própria, no entanto, pode ser beneficiado por algumas dicas.

A primeira delas diz respeito aos valores inclusos nos “menores preços” apresentados. Nem todas as operadoras de câmbio trabalham de forma transparente com seus consumidores ainda que possuam a autorização do Banco Central.

Estas utilizam estratégias de marketing que anunciam “os menores preços” mas, ao atingir a última etapa de compra, o usuário depara-se com valores adicionais, como a alíquota incidente de IOF para cada produto (moedas em espécie, créditos em cartões pré-pagos ou remessas internacionais), não apresentada ou informada anteriormente.

Na compra de moedas estrangeiras, haverá sempre a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Com alíquotas definidas por decreto presidencial, atualmente incide um valor de 1,1% para a compra de moedas em espécie; 6,38% em créditos para cartões pré-pagos e 0,38% em remessas internacionais.

É imprescindível que o comprador esteja dotado de todas informações referentes a compra, tanto no que diz respeito ao pagamento quanto as alternativas de retirada. Por isso, ao buscar por Casas de Câmbio em {{city}}, tire todas as dúvidas e garanta a negociação em um local que respeite o consumidor e o auxilie em todas as etapas da compra.

MELHOR CÂMBIO EM TODO O BRASIL

Quem busca pelo melhor câmbio do euro em São Paulo deve estar atento às pequenas armadilhas de preços baixos. Isso porque o que caracteriza o “melhor câmbio” não é, necessariamente, o valor pago pela moeda, mas pelo serviço como um todo.

O que significa dizer que para encontrar o melhor câmbio, questões como a qualidade do atendimento e a experiência de compra devem ser consideradas, assim como as formas de retirada da moeda.

Somente benefícios reais podem revelar a melhor forma de obter o euro em São Paulo. Se deseja saber quais fatores considerar no momento de realizar a compra, acompanhe a postagem e descubra.

Saiba também quais os gastos esperados nos principais destinos da Europa para conseguir estimar a quantia necessária para a sua viagem!

OS ELEMENTOS-CHAVE PARA ENCONTRAR O MELHOR CÂMBIO

Pode soar equivocado a primeiro momento, mas o valor mais baixo pago por uma moeda não implica no melhor câmbio. Se formos levar ao pé da letra, talvez seja uma colocação difícil de ser aceita. Mas vamos pensar da seguinte forma:

É possível encontrar no mercado paralelo moedas por valores abaixo dos apresentados por agências turísticas, bancárias e casas de câmbio. Ainda, obter a moeda de colegas ou familiares que viajaram para o exterior recentemente.

Porém, esse é um exemplo claro do “barato que sai caro” (podendo custar a viagem). O que acontece é que ao sair do país dotado de uma quantia superior a R$10.000 é necessário apresentar um comprovante à Receita Federal que ateste a origem deste dinheiro.

O câmbio paralelo não fornece este “documento”, nem a obtenção da moeda através de familiares ou conhecidos. Somente esse fator é suficiente para entender que o melhor câmbio, enquanto preço, pode não expressar o que o consumidor busca quando realiza a operação.

Pensando nisso, ao buscar pelo melhor câmbio do euro em São Paulo, considere:

O preço do câmbio da moeda estrangeira

Reforçamos, mais uma vez, que este elemento não define por si só o “melhor câmbio” da moeda, mas é sem dúvidas um fator fundamental no momento da compra. O segredo é buscar por agências ou casas de câmbio capazes de fornecer as menores taxas na obtenção da moeda, associando esta vantagem aos benefícios reais da transação.

Qualidade do serviço prestado

Muito além de educação e simpatia, a qualidade do serviço deve ser medida na disposição para sanar as principais dúvidas e fornecer informações precisas sobre todas as taxas e valores incluídos na transação.

Em outras palavras, a transparência no momento da compra é fundamental para, mais uma vez, não cair na armadilha do “preço baixo”. Ao optar por qualquer meio de compra, atente-se as pequenas letras na contratação do serviço.

Saiba quais serão os valores incidentes para além do valor da moeda no momento da transação. Somente dotado de tais informações é possível definir qual o melhor câmbio do euro em São Paulo.

Experiência de compra desde a cotação até o recebimento da moeda

Mais uma vez, somente o preço baixo e a qualidade do atendimento podem não ser capazes de revelar o melhor câmbio do Brasil.

Em algumas casas de câmbio, ocorrem negociações exaustivas sobre taxas, além de procedimentos burocráticos, tornando a experiência desagradável. Ao optar por plataformas virtuais todos esses problemas são eliminados.

A compra é simples e intuitiva. Tem-se início na simulação, informando todos os valores desejados e então, o encaminhamento para o preenchimento do formulário e conclusão da compra.

O local de retirada da moeda e seu atendimento

E como se não bastasse, a compra da moeda estrangeira online oferece uma outra vantagem: o delivery. É possível optar pelo recebimento da quantia adquirida em endereço previamente cadastrado.

O que é um grande diferencial, não apenas pela praticidade, mas também pela segurança. As proximidades de casas de câmbio - quando não as próprias agências -, são alvos frequentes de criminosos.

O transporte da moeda é realizado por equipe treinada para o procedimento, além de seguirem rotas previamente estipuladas pela empresa responsável pela segurança.

ONDE ENCONTRAR A CASA DE CÂMBIO MAIS BARATA

Quem deseja encontrar a taxa de câmbio mais barata do Rio de Janeiro deve estar atento a alguns fatores fundamentais ao realizar a compra da moeda. Nem sempre os preços mais baixos são as melhores alternativas do mercado e vamos explicar o porquê.

A primeira recomendação, já mencionada anteriormente, diz respeito ao mercado paralelo. É preciso reforçar que esta é uma prática ilegal e não regulamentada pelo Banco Central do Brasil (BC ou BACEN).

Ao realizar a compra de uma moeda estrangeira, certifique-se que o local possui autorização para realizar a atividade. Somente após garantir a legalidade da operação, dê início a busca pela taxa de câmbio mais barata.

Mas como? A gente te conta:

1- Através de Pesquisa de Valores

Existem diferenças nos valores apresentados por cada casa de câmbio do Rio de Janeiro e é importante realizar uma pesquisa de cotações para optar pelo serviço que saia mais em conta, conseguindo economizar durante a troca.

Apesar de haver a regulamentação da prática pelo Banco Central, o mesmo não interfere nos valores estipulados por agências e casas de câmbio nas operações de comercialização da moeda.

Isso permite a existência de grande variedade de preços por uma mesma moeda em diferentes locais. Um outro ponto a destacar é que somente o preço não deve ser o fator de escolha.

O segredo da busca é por serviços de qualidade atrelado aos melhores preços, ainda que não sejam os valores mais baixos do mercado. Uma boa alternativa são as plataformas virtuais, que possuem algoritmos mantendo as cotações 24 horas por dia atualizadas, fornecendo alternativas reais e com todas as taxas de serviço inclusas.

2- Empresas que forneçam comprovante de compra

Aqui, voltamos mais uma vez a importância de dar preferência às agências, instituições e casas de câmbio autorizadas pelo Banco Central. O que ocorre ao final da operação é a emissão de um comprovante de compra.

Mas como isso pode ajudar a encontrar a melhor taxa de câmbio? Bem, este comprovante é utilizado pela Receita Federal no momento em que o indivíduo deixa o país.

Para quantias superiores a R$10.000 é preciso apresentar esta documentação (vale lembrar que a compra pelo mercado paralelo ou através de conhecidos não é capaz de fornecer essa garantia).

Não apresentar este documento ou ser incapaz de confirmar a origem do dinheiro pode gerar grandes dores de cabeça e prejudicar a sua viagem (quando não a impedir de acontecer).

3- Através da reputação de empresas

Mais uma vez, esta indicação é para evitar o barato que sai caro.

Antes de concluir a compra, verifique o que os consumidores estão dizendo no Reclame Aqui da empresa escolhida. Os perfis nas redes sociais e avaliações pelo Google são também capazes de revelar a experiência de outros usuários no momento da compra.

Se existirem quaisquer pontos que não são mencionados na oferta do produto, certamente os usuários estarão falando a respeito e isso pode evitar que você entre em uma fria.

A compra de moedas online

Qualquer um que tenha realizado uma pesquisa simples nos principais mecanismos de busca sabe que existem plataformas virtuais que realizam a comercialização de moedas estrangeiras.

Havendo diversas alternativas, no momento da escolha é importante considerar àquela que preze pela experiência de compra do usuário e forneça atendimento de qualidade.

Na Câmbio Store o cliente possui acompanhamento durante todas as etapas de compra, além de ter acesso a todas as informações pela página oficial e atendimento telefônico de segundas às sextas, das 9h às 18h.

Além disso, a plataforma possui sistema de segurança e páginas em SSL, para garantir o sigilo das informações pessoais e bancárias dos usuários.

E tem mais: A empresa possui parceria com as principais casas de câmbio do país, permitindo que sejam encontradas as taxas de câmbio mais baratas e a retirada da quantia obtida com as principais parcerias da plataforma.

O que é preciso saber antes de realizar o câmbio

Para não cair em propagandas enganosas e fugir da lábia de vendedores, o ideal é estar bem orientado. Existem algumas informações que podem beneficiar o consumidor no momento da compra. A saber:

A diferença entre a moeda comercial x turismo

No ano de 2005, o mercado de câmbio no Brasil foi unificado em um único mercado legal. Desta forma, foram definidos os mercados de câmbio de Taxas Livres (ex: o dólar comercial) e o das taxas flutuantes (dólar turismo).

  • O dólar chamado comercial (ou qualquer moeda que apresenta esta designação), é utilizado em operações financeiras (importações, exportações, empréstimos, outros);
  • O turismo, é comercializado por agências turísticas, bancárias e casas de câmbio a quem pretende viajar para o exterior.

Os valores entre as duas moedas variam, pois no segundo caso, incidem as taxas de serviço da intermediadora (seja lá qual for a instituição de escolha), estipulados pela mesma.

O que é taxa de câmbio?

As taxas de câmbio são os valores das moedas estrangeiras cobrados por agências regulamentadas pelo Banco Central. Como visto, existem as taxas flutuantes e as taxas livres.

As flutuantes, que nos interessam, variam de acordo com a oferta e demanda do mercado financeiro e estão sujeitas, claro, as flutuações cambiais, que podem levar a apreciação ou depreciação de uma moeda.

A apreciação consiste na elevação do valor de uma moeda em relação a outra e a depreciação representa o fenômeno contrário. A valorização cambial torna as importações mais baratas, sendo necessários menos reais para adquirir uma outra moeda, como o dólar.

A demanda por produtos importados aumenta na medida em que estes ficam mais baratos. O problema é que ao ocorrer a elevação das importações, em algum momento será gerado o déficit comercial.

Os valores de déficit devem ser sanados o quanto antes para o fechamento do Balanço de Pagamentos da União (como ocorre em uma empresa). Ele pode ser financiado ou pago através de reservas cambiais (quando existentes).

O grande problema de financiamentos - como os feitos junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI), é que ele implicará em medidas que quase sempre levam um país à recessão.

Estes fatores explicam, por exemplo, a posição do real diante de uma moeda como o dólar. Ao introduzir o plano real na década de 1990, o valor da moeda foi pareado junto ao dólar (ou seja, US$1 = R$1). Isto elevou a demanda por importações e resultou em acúmulo dos déficits comerciais.

O que interfere na valorização da moeda diante do mercado internacional, de forma inevitável.

Após obter informações referentes à taxas de câmbio e operações cambiais, você poderá lidar mais fácil com estas questões e obter a moeda que for sem o risco de cair em armadilhas ou na conversa de vendedores.

Tenha sempre em mente a variabilidade das taxas cambiais e considere a pesquisa como fator-chave para encontrar a taxa de câmbio mais barata no Rio de Janeiro (ou em qualquer outra capital).

Taxa de Câmbio

Quem está no Leblon não precisa ir longe para acompanhar a taxa de câmbio em tempo real. Na verdade, basta acesso à internet para conferir a cotação e realizar a compra quando encontrar o melhor preço pela moeda.

Algumas plataformas virtuais operam através de algoritmos que mantém as taxas atualizadas 24 horas por dia, durante todos os dias da semana. Estas oferecem a seus usuários experiência diferenciada e possibilitam a compra no momento em que for anunciado o melhor preço.

Como acompanhar a taxa de câmbio em tempo real

Nos dias atuais, não é necessário aguardar a cotação de moedas nos noticiários ou dirigir-se às agências de turismo e câmbio para saber o valor da taxa atualizado. O procedimento é ainda mais simples: basta possuir acesso a internet.

Seja no Leblon ou em qualquer outra parte do Rio de Janeiro, é possível - através do uso de smartphones - acessar páginas que não apenas oferecem as cotações em tempo real, mas permitem a compra da moeda ao encontrar os melhores preços.

Uma das principais é a Cambio Store, que possui algoritmos que mantém a cotação de suas moedas atualizadas 24 horas por dia, durante 7 dias da semana e sem pausa para os feriados.

Prezando pela experiência do usuário, toda a interface da plataforma é intuitiva, facilitando a simulação da moeda e a realização da compra. Quem encontra um bom valor pela moeda e não deseja aguardar para concluir a compra, deve seguir os seguintes passos:

  • Após acessar a página oficial da câmbio store e realizar a simulação, é necessário preencher o formulário cadastral e confirmar os dados, para então dar sequência a compra;
  • Finalize o preenchimento dos dados solicitados e selecione a forma de pagamento. É possível realizar a transferência entre contas, TEC/DOC ou através de depósito identificado para valores até R$10.000.
  • Concluída esta etapa, basta selecionar a forma de retirada da moeda. Além de ser possível dirigir-se ao endereço de casas de câmbio parceiras da marca, o serviço de delivery é uma alternativa que visa trazer maior comodidade ao usuário.
  • Na Câmbio Store a oferta de menores taxas é possível através da parceria que a empresa possui com as principais casas de câmbio do país. Este fator elimina a negociação de taxas por parte dos usuários, já apresentando os menores valores possíveis para a compra.

    A taxa de câmbio da plataforma online é diferente da vista nos noticiários

    Ocorre, por vezes, uma dúvida comum aos usuários de plataformas virtuais: Por que a taxa de câmbio apresentada para a minha compra não corresponde ao valor da moeda visto nos noticiários?

    É preciso esclarecer que a cotação apresentada em noticiários corresponde ao valor da moeda comercial, utilizada nas importações, exportações e pelo mercado financeiro.

    As moedas obtidas para fins turísticos (ou viagens à trabalho e intercâmbios) é a moeda em sua versão turismo (sim, este é o nome pelo qual será referida, apesar do caráter variável das viagens).

    Há uma pequena diferença no valor da moeda comercial para o da moeda turismo e esta diferença diz respeito aos valores acrescidos pelas intermediadoras da moeda, sejam as agências de turismo, bancárias ou casas de câmbio.

    Sempre haverá uma incidência do valor pelo serviço realizado por estas, fazendo com que haja SIM uma diferença (pouquíssimo significativa) nos valores de obtenção da moeda para a sua viagem.

    A taxa de câmbio e o momento ideal para a compra

    É difícil dizer quando será um bom momento para obter uma moeda e nem mesmo a taxa de câmbio em tempo real conseguem indicar uma direção clara para o dia seguinte, em função das flutuações cambiais que ocorrem neste tipo de mercado.

    Palavras como apreciação (ou valorização) são frequentes, enquanto a depreciação (ou desvalorização) são esperadas por aqueles que desejam obter as moedas mais sólidas do mercado, como dólar e euro.

    O que desejamos ressaltar aqui é que em um regime de taxas de câmbio flutuante, o mercado é quem estabelece a relação entre as moedas e este mecanismo é dado na crença por uma tendência ao equilíbrio automático na balança comercial (não significa que ocorra ou ao menos seja rápido).

    Vamos utilizar a relação entre o real e o dólar para exemplificar o que acontece neste tipo de mercado.

    Quando falamos em valorização, por exemplo, estamos indicando que o real aumentou o seu valor em relação ao dólar, ou, em outras palavras, é necessário menos reais para obter um dólar. É quando escutamos que o "dólar caiu". No caso da depreciação, o oposto ocorre.

    O fenômeno da valorização barateia as importações, aumentando a demanda por produtos importados e elevando as taxas por exportação. Os produtos do país encarecem e os investidores passam a buscar outros lugares para realizar a compra dos mesmos produtos (ou semelhantes) pelos menores preços, o que resulta na perda da competitividade das exportações.

    A elevação das importações, dentro de um prazo, levará ao déficit comercial, como aconteceria em uma empresa, no balanço de pagamentos. E eis as complicações.

    Diante de um déficit, é necessário financiamento; este é dado com a utilização de reservas cambiais (se possuir), empréstimos junto a bancos privados ou a venda de ativos públicos.

    Este último caso foi o que vivenciamos no Brasil ao final da década de 1980 e 1990 com as privatizações em massa. Há ainda uma outra alternativa para o controle do déficit, através de empréstimos diretos junto ao FMI (que quase sempre levam um país à recessão).

    Todas as considerações apontam para a resposta inicial: é difícil prever. Diante do cenário econômico atual, não vale a pena hesitar ao encontrar a melhor taxa de câmbio para obtenção de uma moeda.

    Qualquer indicativo de baixa, é um indicativo de que é o melhor momento para obter a moeda. Para quem deseja economizar, as dicas principais:

    • Realize o acompanhamento da moeda em tempo real durante diferentes dias da semana, no intervalo de uma semana. Caso não tenha apresentado alterações consideráveis, talvez seja o melhor momento para obtê-la;
    • Mas antes disso, verifique o histórico de cotações da moeda. As oscilações dos últimos meses e também dos últimos anos. É possível visualizar - caso exista um padrão -, uma tendência entre períodos do ano que podem indicar que haverá aumento ou queda na moeda.